RESENHA: Ney Matogrosso em São Paulo – Atento aos sinais

Ney Matogrosso - Foto: Divulgação (reprodução internet)
Ney Matogrosso – Foto: Divulgação (reprodução internet)

Depois de apresentação em Juiz de Fora para acertos no show, Ney Matogrosso fez a estréia nacional da turnê Atento aos Sinais, em São Paulo, no HSBC Brasil, na noite desta sexta-feira, 8.

Como o nome alude, o novo espetáculo é baseado não em hits, mas em canções inéditas na voz do cantor, a maioria delas de jovens nomes que despontam na cena musical brasileira. Na  abertura, o conceito vai se delineando não  totalmente evidente quando Rua da passagem (Lenine /Arnaldo Antunes) e Incêndio (Pedro Luiz), duas canções da década de 90 pouco conhecidas do grande público,  introduzem um Ney visceral com lampejos de contestação,  impressionante em seus 71 anos.

O show segue na pressão com Vida Bandida (Lobão / Bernardo Vilhena), uma das poucas músicas de apelo popular do espetáculo. Paulinho da Viola é outro dos compositores de renome presentes no roteiro com a bela Roendo as Unhas, canção de 1973. Itamar Assumpção, identificado com a vanguarda paulistana dos anos 80  e sempre presente na obra do cantor aparece com 3 temas“Noite Torta”, “Fico Louco”  e  “Isso Não Vai Ficar Assim”, número em que Ney arma o sempre efetivo jogo de sedução com a platéia. Já Caetano Veloso marca presença com Two naira fifty kobo em registro pálido, inferior ao original.

A partir daí surge o Ney Matogrosso atento aos sinais: Oração de Dani Black, compositor paulista muito comentado, filho de Tetê  Espindola,  abriga em inspirado verso  o nome do show. Da banda indie carioca Tono, duas ótimas: Não Consigo e num dos melhores momentos da noite, Samba do BlackBerry, injetando humor em roteiro que tem pegada politizada.

Dois rappers também comparecem: na bonita e kitsh  Freguês da Meia Noite, do paulistano Criolo, ainda no início do show Ney consegue a maior ovação platéia que reconhece de cara a música já cantada por eles em histriônico dueto de 2012. Do alagoano Victor Pirralho, Tupifusão não funcionou, com o cantor correndo atrás da melodia e lendo a letra no teleprompter.

Dan Nakagawa, talentoso como de costume, oferece a canção que encerra a noite, antes do bis: Todo Mundo o Tempo Todo. Na volta ao palco, Amor do repertório dos Secos e Molhados é levada pela ótima banda de 8 músicos –  Sacha Amback (teclados e direção musical), Maurício Negão (guitarra), Dunga (baixo), Marcos Suzano e Felipe Roseno (percussão) e os sopros de Everson Moraes e Aquiles Moraes (trompete) – com arranjo parecido ao original. É do sempre ótimo Vitor Ramil, Astronauta Lírico, a música que põe um ponto final na apresentação, quando o palco é tomado por bolhas de sabão, recurso que cenicamente resulta bonito e delicado.

Como um todo, Atento aos Sinais é ótimo show.  Ney Matogrosso, 71 anos, subverte a ordem do seu próprio tempo e cai no pop, atual e com propriedade.

Ney Matogrosso – Atento Aos Sinais
Quando: 08/03/2013
Onde: São Paulo – HSBC Brasil
Review: * * * *

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s