Lançamentos Música Mpb Resenhas Show

SHOW: Estou Falando de Elton Medeiros

Em noite histórica, um pedaço importante da música brasileira

Homenagem a Elton Medeiros. Sesc Vila Mariana. 3.7.2013
Homenagem a Elton Medeiros. Sesc Vila Mariana. 3.7.2013

Muito difícil mensurar a importância da obra de Elton Medeiros no universo do samba e da música popular brasileira como um todo. Em revisão conceitual, não são poucos que o apontam como o maior sambista brasileiro.

Na noite desta quarta-feira o palco do Teatro do Sesc Vila Mariana recebeu uma constelação de grandes artistas para homenagear o carioca  e atestar o quão espetacular é esse cancioneiro atemporal, forjado nas rodas e terreiros de samba do Rio de Janeiro. Armado pelo violonista Eduardo Gudin que fez as vezes de mestre de cerimônia e diretor musical da apresentação, além de urdir com eficiência a costura do belo roteiro, o que se viu em cena foi um show que, sem exageros, pode ser chamado de histórico.

Depois de três números em que Gudim acompanhado de seu violão refinado mostrou suas parcerias com o carioca em “Estrela” e “Mundo”, os tipicamente paulistanos Demônios da Garoa abriram as participações com a habitual verve que ecoa humor tão identificado com a paulicéia. O quarteto trouxe logo de cara dois clássicos – “Maioria sem Nenhum” e “Meu Sapato Já Furou”  (Elton Medeiros / Mauro Duarte), canções que constam no antológico disco de 1966, Na Madrugada e marca a estreia fonográfica do autor, acompanhados em coro pela plateia que superlotou o teatro.  Mantendo o eixo geográfico em São Paulo, Fabiana Cozza, apresentada (com justiça) como “uma das maiores cantoras do Brasil”, não deixou a peteca cair ao defender com estilo e precisão duas parcerias de Elton com Zé Ketti, “Mascarada” e “Sorri”, ambas gravadas originalmente em 1965 no cd Roda de Samba, quando Elton Medeiros ainda fazia parte do conjunto A Voz do Morro.

Foi no décimo número do recital que a história se fez presente. Paulinho da Viola, parceiro maior de Elton, entrou para tomar conta do show.  Acompanhado da ótima banda arregimentada por Gudin, o compositor que é a cara do samba brasileiro mostrou o quanto é eficiente como intérprete. Com a mesma maestria com que empunha o violão, entoou pérola atrás de pérola elevando o nível da homenagem ao firmamento. Quando improvisou e fugiu do roteiro – em dueto com sua filha Beatriz cantou “Ame”, últimas das composições com Elton, e “Recomeçar” – só fez o show crescer em categoria. Foi Paulinho, aliás, que anunciou o homenageado do espetáculo. Ao surgir, Elton Medeiros, 82 anos, acompanhado por Hermínio Bello de Carvalho, foi ovacionado por quase 5 minutos pela plateia em pé. A aparente fragilidade física do sambista foi desmontada totalmente quando a ainda impressionante voz ecoou pelo teatro. E dá-lhe clássicos. Entremeados por histórias saborosas contadas por Hermínio e Paulinho, temas como  “Rosa de Ouro”, “Folhas no ar” e “Pressentimento”, só fizeram reforçar o caráter lírico e quase didático do tributo. Na sequência, atendendo com charmosa relutância um pedido do Elton, Paulinho da Viola, emocionado, solou a única música da noite que não foi composta pelo dono do palco – “Minhas Madrugadas” (Paulinho da Viola / Candeia) e    seus famosos e inspirados versos  “vou pelas minhas madrugadas a cantar / esquecer o que passou /  trago a face marcada / cada ruga no meu rosto / simboliza um desgosto” Quero encontrar em vão o que perdi / só resta saudade / não tenho paz / e a mocidade / que não volta mais”. 

A essa altura havia lágrimas na platéia.

Ao fim do espetáculo, a impressão indelével  foi que a história passeou alí, tão tátil e íntima, para as 600 pessoas que tiveram a sorte de presenciar uma apresentação que não deve sair da memória tão cedo.

Algumas fotos do show. Aqui.

O roteiro apresentado na estreia de Estou Falando com Elton:

1. O Sol Nascerá (instrumental)
2. Estrela (Elton Medeiros / Eduardo Gudin)
3. Mundo (Elton Medeiros / Eduardo Gudin / Roberto Riberti)
4. Rita Maloca (Elton Medeiros)
5. Maioria sem Nenhum (Elton Medeiros / Mauro Duarte)
6. Meu Sapato Já Furou (Elton Medeiros / Mauro Duarte)
7. Lá Fora (Elton Medeiros / Délcio Carvalho)
8. Mascarada (Elton Medeiros / Zé Ketti)
9. Sorri (Elton Medeiros / Zé Ketti)
10. Pra Fugir da Saudade (Elton Medeiros / Paulinho da Viola)
11. Vida (Elton Medeiros / Paulinho da Viola)
12. Onde a Dor Não Tem Razão (Elton Medeiros / Paulinho da Viola)
13. Ame (Elton Medeiros / Paulinho da Viola)
14. Recomeçar (Elton Medeiros / Paulinho da Viola)
15. Um Cara Bacana (inédita – Paulinho da Viola)
16. Na Mesa de Um Botequim (Elton Medeiros / Clóvis Beznos)
17. Rosa de Ouro (Elton Medeiros / Paulinho da Viola / Hermínio Belo de Carvalho)
18. Folhas no Ar (Elton Medeiros / Hermínio Belo de Carvalho)
19. Minhas Madrugadas (Paulinho da Viola / Candeia)
20. Pressentimento (Elton Medeiros / Hermínio Belo de Carvalho)
21. O Sol Nascerá (Elton Medeiros / Cartola)

Estou falando de Elton Medeiros
Com Paulinho da Viola, Hermínio Belo de Carvalho, Eduardo Gudin, Fabiana Cozza e Demônios da Garoa

Onde: Sesc Vila Mariana – São Paulo
Quando: 7.3.2013
Review: * * * * *

1 comentário em “SHOW: Estou Falando de Elton Medeiros

  1. Pingback: Os 15 shows nacionais de 2013 « Música Estática

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s