LANÇAMENTO: Ladeira da Memória – Afluentes da Vanguarda Paulista

Foto: Alexandre Nunis (divulgação)
Carlos Careqa, Chico Buarque na gravação do cd – Foto: Alexandre Nunis (divulgação)

Nos estertores da década de 70, um grupo de artistas radicados em São Paulo,  um tanto sem programação e clamando por espaço pra mostrar seus  trabalhos, foi se juntando por afinidade e necessidade. Um Itamar Assumpção aqui, um Luis Tatit ali, algumas moças de vozes afinadas arregimentadas para suprir certa carência dos rapazes no cantar e um palco em Pinheiros. A ponte entre Vila Madalena e Vila Maria se fez pela estranheza – do som, do comportamento, das idéias. Quando foram notar já era um movimento que a crítica tratou de rotular de Vanguarda Paulista (Paulistana, para alguns). Durou cerca de 7 anos – de 1979 a 1985. E marcou a música brasileira mesmo  com a maioria dos envolvidos não tendo atingido o tal sucesso comercial. A trupe egressa do movimento tinha nomes como Arrigo Barnabé, Tetê Espindola,  Ná Ozetti, Grupo Rumo, Premetidando o Breque, Língua de Trapo e Zé Eduardo Nazário. 

O palco principal foi o Lira Paulistana, acanhado teatro nas cercanias da Praça Benedito Calixto que durante um bom tempo foi também uma gravadora que jogou no mercado (diminuto) os primeiros registros fonográficos dos artistas envolvidos na cena. Pelo selo foram lançados álbuns hoje tidos como especiais como o “Beleléu, Léleu, Eu” (1979) de Itamar Assumpção, “Summertime” (1981) e “Abolerado Blues” (1983) de Cida Moreira e o primeiro trabalho do Língua de Trapo, de 1982.

Agora, com iniciativa do Selo Sesc, alguns dos marcos do movimento foram regravados com curadoria e produção de Carlos Careqa. O cd “Ladeira da Memória – Afluentes da Vanguarda Paulista” já está a venda nas unidades do Sesc e conta com direção musical de Paulo Braga e  participações de Chico Buarque, Celine Imbert, Mariana Aydar e Vãnia Abreu, entre tantos outros.

Ainda não tive acesso ao cd mas uma boa oportunidade para conhecer o repertório e toda atmosfera de revival é o show que será apresentado em duas noites no Sesc Pompéia,  dias 12 e 13 de Julho e que marca o lançamento do trabalho. Os envolvidos na gravação do cd (exceto Chico Buarque) sobem ao palco para mostrar ao vivo suas versões para canções emblemáticas como “Acho”, “Nós”, “Nego Dito”, “Sonora Garoa” e “Londrina”.

ATUALIZAÇÃO: Veja como foi o show de lançamento com participação de Chico Buarque

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s