SHOW: Thiago Pethit Canta as Trilhas de David Lynch

Thiago Pethit escapa da armadilha do histrionismo cênico e mostra um show envolvente onde aparece seguro para dar voz às trilhas sonoras dos filmes de David Lynch

Thiago Pethit no palco do Sesc Vila Mariana. 22.8.2013
Thiago Pethit no palco do Sesc Vila Mariana. 22.8.2013

Os  primeiros acordes da noite, secos e soturnos, até sugeriam que o clima de surrealismo e estranhamento que marcam o cinema do cultuado realizador norte-americano David Lynch  (fato sublinhado em certo momento pelo próprio cantor) pautariam o show que Thiago Pethit apresentou nesta quinta-feira em São Paulo.

Mas depois desta introdução, assim que o cantor pisa no palco ao som de “Blue Velvet” emendando o número com “Love Letters”, ambas extraídas do filme “Veludo Azul”,  em arranjos que fazem alusão aos conjuntos de bailes dos anos 1950 e 1960,  o teatro dá as caras e se sobrepõe, em parte, às referências cinematográficas. Elegante trajando smoking, Thiago encarnou o crooner clássico e ofereceu, em roteiro esperto de 15 canções, um espetáculo envolvente que acertou em quase tudo a que se propôs.

Com corretas abordagens sonoras da “No Hay Banda” ora sob direção musical do guitarrista Pedro Penna, que também escreveu os arranjos do trio de cordas que acompanhou o cantor, o show não se limitou ao clima de bailinho. Em passagens mais pesadas que acenaram ao pop e ao rock como “I Put Spell On You” ou na oitentista e bowiana “Deranged”, ponto alto da noite, pinçadas do filme “Lost Highway“, Thiago Pethit esteve  à vontade  conciliando atmosferas parecidas com as do seu show de carreira, Estrela Decadente.

CSC_1345

Inteligente e tendo em mente que ao assumir a postura de crooner seu desempenho vocal seria o alvo das atenções da noite, o artista apostou em contidas interpretações, sem deixar o histrionismo tomar conta da cena. Em “Wicked Game” (Chris Isaak) ou na melancólica leitura de  “Love Me Tender”, do repertório de Elvis Presley, acompanhado apenas de violão, essa característica apareceu de forma clara. Menos sedutora, “Insensatez” (Vinicius de Moraes / Tom Jobim), outra do filme Lost Highway, e a ótima versão de “Crying” (com breve introdução em espanhol), icônica canção da mais famosa cena do  filme “Mulholland Drive”, anunciada como “a mais esperada da noite” , também seguiram o mesmo caminho.

Ao final, para a alegria geral da plateia, o bis roqueiro com “Devil in Me” (Thiago Pethit / Helio Flanders), serviu para encerrar uma noite em que Thiago deu mais uma prova do salto de qualidade que sua carreira aparenta ter incorporado. Concebido com produção caprichada para uma única apresentação, seria interessante pensar que o show possa ser repetido outras vezes. Pode até ficar melhor.

Algumas fotos do show. Aqui.

Thiago Pethit Canta as Trilhas de David Lynch
Quando: 22.8.2013
Onde: Teatro do Sesc Vila Mariana – São Paulo
Review: * * * 1/2

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s