Lançamentos Música Mpb Resenhas Show

SHOW: Com a voz em grande forma, Maria Alcina reitera que “nunca saiu de moda” no lançamento de De Normal (Bastam Os Outros)

Maria Alcina no palco do Sesc Belenzinho. 14.2.2014 (Foto: Alexandre Eça)
Maria Alcina no palco do Sesc Belenzinho. 14.2.2014 (Foto: Alexandre Eça)

Maria Alcina – Lançamento nacional do álbum “De Normal (Bastam Os Outros)”
Quando: 14.2.2014
Onde: Comedoria Sesc Belenzinho – São Paulo
Review: star-512star-512star-512star-512

Foi logo depois da exibição do clipe de “Bigurrilho” que Maria Alcina subiu ao palco da gigantesca Comedoria do Sesc Belenzinho, com voz grave e potente, para entoar “Eu Sou Alcina“, tema-homenagem composto por Zeca Baleiro para o oitavo disco da carreira da mineira. Saudada com entusiasmo pelo público que lotou o Sesc, Alcina logo emendou sob arranjo pesado, quase indie-rock, “De Normal“, a canção de Arnaldo Antunes cujos versos deram título ao álbum que teve lançamento nacional no show desta sexta-feira. Genuinamente emocionada, Maria Alcina parecia concentrada ao olhar para a própria história artística quando cantou a funkeada “Sem Vergonha“, acentuando com malícia o refrão escrito por Jorge Ben e gravado por ela no disco “Bucaneira” (1992), em número onde Guizado, o primeiro convidado da noite, se destacou nos timbres originais tirados do trompete que dariam contornos dramáticos à canção seguinte, “O Chefão“. Música da dupla João Bosco e Aldir Blanc originalmente lançada pela cantora carioca Marlene em 1974, “O Chefão” apareceu com interpretação visceral e cheia de nuances da cantora que ainda ostenta a voz em grande forma. Depois do alto voo estilístico e de tirar as botas que compunham o expressivo figurino do show, Alcina pareceu mais à vontade para dar graciosa versão para “Segura Essa Samba, Ogunhê” (Osvaldo Nunes) e reiterar a irreverência, uma das suas marcas registradas, em “Dondoca“, o samba de Adoniran Barbosa que compôs uma dobradinha marcada pela guitarra de Rovilson Pascoal, diretor musical do show. 

Sétima canção do setlist, “Fio Maravilha” (Jorge Ben) foi destacada pela artista como marco inicial da sua vida artística e serviu para encerrar tematicamente o impactante primeiro bloco da apresentação que veria na sequência seu eixo deslocado para dar vazão à uma retrospectiva da fase mais popular da carreira da cantora. Neste contexto, o eletrizante dueto com Karina Buhr em “Kid Cavaquinho” (João Bosco e Aldir Blanc) surgiu ilustrado pela história contada pela cantora que lembrou que a canção fora composta para Clementina de Jesus que não quis gravá-la e “por sorte caiu nas minhas mãos e virou sucesso instantâneo“. A temperatura do show esquentou de vez no bloco dedicado aos hits dos anos 1980, muito marcados pelos temas de duplo sentido como “Bacurinha” (Domínio Público) que apareceu emendado ao carimbó “Fogo da Morena” (Felipe Cordeiro), “Prenda O Tadeu” (Antonio Sima / Clemilda) e na inédita “Concurso de Bichos“, com seu refrão “a ré ganha, a ré ganha” cantado em coro pelo público e mostrada em cena com a adesão da autora da música, a forrozeira Anastácia. Ainda que o nível artístico da apresentação tenha caído um pouco nestes momentos, o carnaval de “Dionísio, Deus Do Vinho E Do Prazer” (Péricles Cavalcanti), reservado para encerrar a apresentação, tratou de retomar os trilhos contundentes de um lançamento que está no mesmo nível (alto) da importância e qualidade de Maria Alcina dentro da música brasileira. Alcina que, verdade seja dita, jamais saiu de moda.

Algumas fotos do show. Aqui.

O roteiro armado por Alcina para o lançamento nacional de “De Normal (Bastam Os Outros)”:

1. Eu Sou Alcina (Zeca Baleiro)
2. De Normal (Arnaldo Antunes)
3. Nhem Nhem Nhem (Totonho)
4. Sem Vergonha (Jorge Ben) com Guizado
5. O Chefão (Aldir Blanc / João Bosco) com Guizado
6. Segura Esse Samba, Ogunhê (Osvaldo Nunes) / Dondoca (Adoniran Barbosa / Hervê Cordovil)
7. Fio Maravilha (Jorge Ben)
8. Cocadinha de Sal (Karina Buhr) com Karina Buhr
9. Kid Cavaquinho (João Bosco / Aldir Blanc) com Karina Buhr
10. Alô Alô (Mario Reis / André Filho)
11. Fogo Na Morena (Felipe Cordeiro)
12. Bacurinha (Domínio Público)
13. Concurso de Bichos (Anastácia / Liane) com Anastácia
14. Prenda O Tadeu (Antonio Sima / Clemilda) com Anastácia
15. Bigurrilho (Paquito / Sebastião Gomes / Romeu Gentil)
16. Dionísio, Deus do Vinho E Do Prazer (Péricles Cavalcanti)
BIS
17. Concurso de Bichos (Anastácia / Liane)

0 comentário em “SHOW: Com a voz em grande forma, Maria Alcina reitera que “nunca saiu de moda” no lançamento de De Normal (Bastam Os Outros)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s