Destaque Música Mpb Resenhas Show

SHOW: O teatro pop e, por condição, feminista de Verônica Ferriani

Verônica Ferriani no palco do Sesc Pompeia (Foto: Alexandre Eça)
Verônica Ferriani no palco do Sesc Pompeia (Foto: Alexandre Eça)

Show: Verônica Ferriani – Porque a Boca Fala Aquilo Do Que O Coração Tá Cheio
Quando: 8.3.2014
Onde: Sesc Pompeia – São Paulo
Review: star-512star-512star-512star-512 1/2

Se no registro de estúdio as 12 canções autorais de Porque A Boca Fala Aquilo Do Que O Coração Tá Cheio, disco lançado em 2013 de forma independente pela cantora e compositora paulista Verônica Ferriani, já se impunham com intensidade, em cena seu universo confessional se expandiu moldado num teatro pop e feminista por condição. Segura, Verônica subiu ao palco do Sesc Pompeia na noite de sábado, dia internacional da mulher, para dar voz a este repertório de cunho confessional ainda que, como frisou a cantora durante a apresentação, não autobiográfico.

Tão bem enquadrados pelos timbres certeiros das guitarras de Guilherme Held e Rodrigo Campos, os temas de Porque a Boca Fala… ganharam na boca de cena peso extra em números como “Estampa e Só“, “Zepelins” e “Era Preciso Saber“, reproduzindo o mesmo impacto alcançado no disco, ainda na primeira parte do show que teve direção musical do baixista Marcelo Cabral. Sem sair do mote temático do trabalho – as várias faces dos relacionamentos amorosos e suas consequências, sempre do ponto de vista da mulher que nunca se coloca como vítima –  momento mais brando tomou a cena com a participação de Regis Damasceno que apontou para a delicadeza em “À Segunda Vista“, única balada do show, e seguiu inspirada em “Esvaziou“, com Verônica dando interpretação pungente que destacou a sentida letra da canção, valorizada por belo arranjo seguindo em direção à atmosfera algo etérea.

13025000314_ac22193b8b_c

De volta  ao seu eixo mais quente, a trinca posterior com a inédita autoral “Metamorfose“, “Ribeirão” (Rodrigo Campos) e no melhor momento da noite com a ótima abordagem de “Varre e Sai“, dissonante e estilizado trans samba de Rômulo Froes, abriram espaço para a cantora reafirmar a pegada teatral do espetáculo, ressaltada na boa direção cênica de Vanessa Bruno. Reservadas para o fim do show, “De Boca Cheia“, canção que embute na letra o título do disco e “Não É Não“, reinseriram a intensidade inicial da noite, com as guitarras novamente em primeiro plano e Verônica, sem dar vez à dúvidas, expondo seu universo de inspirações concretas e, por condição, feministas com segurança de veterana. A sensação geral é de que  Porque A Boca Fala… é  espetáculo tão contundente quanto o álbum, um dos melhores de 2013, 

Algumas fotos do show. Aqui.

O roteiro armado por Verônica Ferriani:

1. Estampa E Só (Verônica Ferriani)
2. Zepelins (Verônica Ferriani)
3. Ele Não Volta Mais (Verônica Ferriani)
4. Dança Menina (Verônica Ferriani)
5. Era Preciso Saber (Verônica Ferriani)
6. À Segunda Vista (Verônica Ferriani)
7. Esvaziou (Verônica Ferriani)
8. Metamorfose (Verônica Ferriani)
9. Ribeirão (Rodrigo Campos)
10. Varre e Sai (Rômulo Froes)
11. C´est La Vie (Verônica Ferriani)
12. De Boca Cheia (Verônica Ferriani)
13. Não É Não (Verônica Ferriani)
BIS
14. Lábia Palavra (Verônica Ferriani)
15. Estampa E Só (Verônica Ferriani)

0 comentário em “SHOW: O teatro pop e, por condição, feminista de Verônica Ferriani

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s