SHOW: Poesia Total, mesmo irregular, é interessante exposição da obra de Waly Salomão

O elenco de Poesia Total, encabeçado por Gal Costa e Jards Macalé (Foto: Alexandre Eça)
O elenco de Poesia Total  (Foto: Alexandre Eça)

Poesia Total – Waly Salomão
Com Gal Costa, Jards Macalé, Lira, Botika, Helio Flanders e Gustavo Galo
Quando: 24.7.2014
Onde: Teatro Sesc Vila Mariana – São Paulo
Reviewstar-512star-512star-512

Quem foi à estreia do show Poesia Total esperando o anunciado reencontro em cena de Gal Costa e Jards Macalé, deve ter saído um tanto decepcionado. Os dois nomes mais festejados do elenco do espetáculo armado para celebrar a obra do poeta baiano Waly Salomão só estiveram próximos no final do show, no momento dos agradecimentos. Fato que, a rigor, não esmaeceu o brilho do bom show dirigido por Omar Salomão, filho de Waly, e pelo jornalista Marcus Preto, que contou ainda com a participação dos cantores Botika, Helio Flanders, Gustavo Galo e Lira. Show que já começou refinado estilisticamente com Jards Macalé, o principal parceiro musical de Waly, sozinho com seu violão elegante e transgressor, dando notas anárquicas às interpretações de “Olho de Lince”, “Anjo Exterminado” e “Rua Real Grandeza”. Estes três primeiros números serviram para ilustrar a inquietude da obra de Waly, personificada em cena pelo cantor pernambucano Lira, destaque da noite ao surgir, verborrágico, recitando os poemas do baiano entre os números musicais.

Foi apenas no quarto número do roteiro que a banda formada por Domenico Lancelotti, Guilherme Monteiro e Bruno di Lullo entrou no palco para acompanhar Macalé em “Revendo Amigos” e dar o tom indie-carioca aos caminhos sonoros perseguidos no show e que faria enquadrar o cancioneiro letrado por Waly. A intenção de atualizar um repertório marcadamente composto nos anos 1970 por jovens nomes da música brasileira funcionou de forma irregular, talvez pela intenção dos diretores de teatralizar uma obra que, por característica comum do homenageado, já se basta em efervescência e histrionismo. O cantor, compositor e escritor carioca Botika saiu-se bem ao refazer, contido, dois sucessos gravados por Maria Bethânia “Mel” e “A Voz de Uma Pessoa Vitoriosa” – e depois dar voz a um dos primeiros reggaes gravados no Brasil, “Negra Melodia“. Helio Flanders, vocalista da banda Vanguart, teve tarefa um pouco mais difícil. Em “Dona do Castelo“, Flanders derrapou no tom exasperado da interpretação, abordagem que se mostrou pouco sedutora e foi repetida em “Alteza“, outro sucesso de Bethânia, destoando do arranjo de leveza pop armado pela banda dirigida por Domenico Lancelotti. Gustavo Galo, principal compositor da banda paulista Trupe Chá de Boldo, driblou bem suas limitações vocais ao se empenhar com intensidade na interessante versão rock de “Zé Pelintra” e trilhar o pop em “Grafitti“, canção registrada originalmente no antológico álbum Velô (1984), de Caetano Veloso.

poesia_total-25

A sequência de altos e baixos do espetáculo arrefeceu quando Gal Costa entrou em cena. No grande momento da noite, a plateia foi conduzida até 1971, ano que a cantora baiana gravou o espetacular Fa-Tal – Gal A Todo Vapor, com “Mal Secreto“, outra parceria de Jards e Waly, sendo executada com o arranjo original e com Gal em inspiradíssima interpretação atingindo os tons mais altos sem aparente dificuldade. Número que deve ser lembrado como um dos melhores do ano em palcos paulistanos. Ao arrematar sua participação com uma versão tropicalista de “Musa Cabocla” (Gilberto Gil / Waly Salomão) e fechar o show com “Vapor Barato” (Jards Macalé / Waly Salomão), outro tema emblemático do Fa-tal, Gal Costa justificou a expectativa de ser o principal nome da noite. E fez Poesia Total ganhar brilho extra mesmo sem bis e o alardeado encontro entre a cantora e Jards Macalé.

O roteiro de Poesia Total – Waly Salomão:

1. Texto – Olho de Lince – por Lira  / Olho de Lince – por Jards Macalé
2. Anjo Exterminado – por Jards Macalé
3. Rua Real Grandeza – por Jards Macalé
4. Texto – Câmara de Ecos – por Lira / Revendo Amigos – por Jards Macalé
5. Texto – Ars Poética – por Lira / Memória da Pele – por Helio Flanders
6. Dona de Castelo – por Helio Flanders
7. Texto – Fábrica do Poema – por Lira / Mel – por Botika
8. A Voz de uma Pessoa Vitoriosa – por Botika
9. Texto – B. O. – Boletim de Ocorrência – por Lira / Negra Melodia – por Botika
10. Texto – Amante da Algazarra – por Lira  / Zé Pelintra – por Gustavo Galo
11. Grafitti – por Gustavo Galo
12. Texto – Minha Alegria – por Lira / Talismã – por Gustavo Galo
13. Alteza – por Helio Flanders
14. Mal Secreto – por Gal Costa
15. Musa Cabocla – por Gal Costa
16. Texto – Garrafa – por Lira / Vapor Barato – por Gal Costa

Fotos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s