Na volta de Vanusa a um palco importante de São Paulo, a fina sintonia entre artista e fãs

Vanusa no palco do Sesc Pompeia (Foto Alexandre Eça)
Vanusa no palco do Sesc Pompeia (Foto Alexandre Eça)

Show: Vanusa – Vanusa Santos Flores
Quando: 5.2.2016
Onde: Teatro Sesc Pompeia – São Paulo
Reviewstar-512star-512star-512

Vou vestir a minha seresta, dividir o bolo da festa, vou tentar salvar esse pouco que ainda resta“, sentenciou Vanusa pelos versos de “Mistérios” (Zé Geraldo / Mario Marcos), décima segunda canção do roteiro do show que marcou a volta da cantora a um palco importante de São Paulo, o do Teatro Sesc Pompeia, e que também serviu como lançamento do seu primeiro disco de inéditas em 20 anos. Gravado entre 2013 e 2015, Vanusa Santos Flores foi produzido por Zeca Baleiro e deu um novo fôlego à carreira da artista, que se manteve em evidência nos últimos anos mais pela repercussão de seus dramas pessoais do que pela música produzida. De fato, Vanusa dividiu o bolo com seu público e vestiu sua seresta nesta volta, dando peso maior ao balanço dos 50 anos de carreira do que às novidades.

Visivelmente nervosa nas três primeiras canções, Vanusa só começou a relaxar quando a levada roqueira de “Compasso” abriu espaço no setlist para as músicas do novo cd.  Já sem os sapatos, sentada no palco, emendou a autoral “Tapete da Sala”, a bela balada de Zé Ramalho, “Silêncio dos Inocentes” e “Era disso que tava falando” para apresentar o novo trabalho. Mas o público fiel  da cantora, aparentemente saudoso do contato com artista, queria sucessos. E eles vieram a partir do nono número. “Como vai você”, “Sonhos de um palhaço”, “Paralelas”, “Manhãs de setembro” e “Mudanças” foram cantadas em coro, em momentos tocantes, de fina sintonia entre artista e fãs. Justiça seja feita, Vanusa, que foi massacrada sem dó nem piedade depois que o vídeo onde se perdia na letra do Hino Nacional em uma cerimônia oficial viralizou nas redes sociais, esteve impecável em cena. Nos 23 números do setlist, não recorreu ao teleprompter – ainda que ele estivesse à disposição no palco – em  momento algum.

Mesmo que a voz pareça fraquejar em alguns momentos – aos 68 anos, ela já não ostenta a mesma potência vocal – ou que alguns arranjos apresentados pela banda careçam de um maior apuro, a brava cantora se garantiu pela emoção. E pela comunhão com seu público.

Setlist

1. Mensagem (Cícero Nunes / Aldo Cabral)
2. Pra nunca mais chorar (Carlos Imperial / Eduardo Araújo)
3. Lá no pé da serra (Elpídio dos Santos)
4. Compasso (Angela Roro / Ricardo McCord)
5. Tapete da sala (Luiz Vagner / Antonio Luis / Vanusa)
6. Silêncio dos Inocentes (Zé Ramalho)
7. Era disso que eu tava falando (Renata Fausti / Mario Marcos)
8. Aventura  (Eduardo Dusek) / Papel (Renata Fausti) – com Renata Fausti
9. Como vai você (Antonio Marcos / Mario Marcos)
10. Sonhos de um palhaço (Antonio Marcos / Sérgio Sá)
11. Haja o que houver (Pedro Ayres Magalhães)
12. Mistérios (Zé Geraldo / Mario Marcos) – com Zé Geraldo
13. Paralelas (Vanusa)
14. Esperando aviões (Vander Lee)
15. Manhãs de setembro  (Vanusa / Mario Campanha)
16. O que que há / Eu me rendo / Tudo que eu tenha – com Sérgio Sá
17. Abre aspas (Nô Stopa / Marcelo Bucoff)
19. Mudanças (Vanusa)
20. Coração americano (Fagner / Antonio Marcos)
21. Súplica cearense (Gordurinha / Nelinho)
22. Era um garoto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones (Brancato Jr)
Bis
23. Pra nunca mais chorar (Carlos Imperial / Eduardo Araújo)

Fotos

Fotos de Alexandre Eça

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s