Em cerimônia morna, Prêmio da Música Brasileira consagra Zélia Duncan

pmb_reprodução
Foto: Reprodução internet

Com três prêmios, Zélia Duncan foi a grande vencedora da 27ª edição do Prêmio da Música Brasileira realizado na última quarta-feira (22), no Rio de Janeiro, em noite de homenagens ao compositor Gonzaguinha. Em uma cerimônia marcada por números musicais corretos, porém sem maior brilho, Zélia amealhou troféus nas categorias Samba, melhor álbum e melhor cantora pela belo disco Antes do Mundo Acabar, e Melhor Canção pela faixa título do trabalho, sua parceria com Zeca Baleiro.

Repetindo a fórmula de 2015, quando homenageou a cantora Maria Bethânia, o show deste ano – roteirizado pela própria Zélia Duncan – abriu pouco espaço para os vencedores, que foram anunciados de modo breve, sempre coletivamente, entre um número musical e outro.  A emoção prometida pelos organizadores do prêmio veio mesmo da visceral  e irrepreensível interpretação do ator Julio de Andrade, que encarnou à perfeição o homenageado da noite, repetindo sua elogiada performance no filme Gonzaga de Pai pra Filho, de Breno Silveira, entre os número musicais.

O cantor Cauby Peixoto, falecido há poucos dias, foi lembrado logo no início do show pelo criador do Prêmio, o empresário José Mauricio Michline, antes de Alcione abrir as apresentações cantando com Com a Perna no Mundo, música de Gonzaguinha lançada em 1979. A obra do homenageado foi representada, com a atriz Dira Paes como mestre de cerimônia, entre boas performances, como as de Ney Matogrosso (Explode Coração), o dueto de Simone Mazzer e Filipe Catto (Sangrando), Criolo (Comportamento Geral) e João Bosco (Galope), e outras menos inspiradas, como o desencontro de Luiz Melodia e Angela Roro (Grito de Alerta), que tiveram dificuldades para acertar as vozes no dueto no palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Confira os ganhadores na longa lista de categorias abarcadas pela 27ª edição do Prêmio da Música Brasileira:

Canção popular
Melhor cantor: Roberto Carlos (‘Primeira Fila’)
Melhor álbum: ‘Do tamanho certo para o meu sorriso’, de Fafá de Belém, produtores Felipe Cordeiro e Manoel Cordeiro
Melhor grupo: Jamz (‘Insano’)
Melhor cantora: Fafá de Belém (‘Do tamanho certo para o meu sorriso’)
Melhor dupla: Chitãozinho e Xororó (‘Tom do Sertão’)

Categoria MPB
Melhor álbum:‘Dois Amigos, um século de música’ de Caetano Veloso e Gilberto Gil, produtores Caetano Veloso e Gilberto Gil
Melhor cantor: Caetano Veloso (‘Dois Amigos, um século de música’)
Melhor cantora: Virginia Rodrigues (‘Mama Kalunga’)
Melhor grupo:Dônica (‘Continuidade dos Parques’)

Pop/rock/reggae/hip-hop/funk
Melhor cantor: Lenine (‘Carbono’)
Melhor álbum: ‘A Mulher do Fim do Mundo’, de Elza Soares, produtor Guilherme Kastrup
Melhor grupo: Titãs (‘Nheengatu – ao vivo’)
Melhor cantora: Gal Costa (‘Estratosférica’)
Categoria melhor canção
‘Antes Do Mundo Acabar’, de Zeca Baleiro e Zélia Duncan, intérprete Zélia Duncan (CD ‘Antes do mundo acabar’);
Categoria revelação
Simone Mazzer (‘Férias em Videotape’)

Categoria samba
Melhor álbum: “Antes do mundo acabar”, de Zélia Duncan, produtora Bia Paes Leme
Melhor cantor: Alfredo Del-Penho (“Samba Sujo”)
Melhor cantora: Zélia Duncan (“Antes do mundo acabar”)
Melhor grupo: Moacyr Luz e Samba do Trabalhador (“Moacyr Luz e Samba do Trabalhador – 10 anos e outros sambas”)

Regional
Melhor cantor: Xangai (‘Xangai’)
Melhor cantora: Elba Ramalho (‘Cordas, Gonzaga e Afins (Sagrama e Encore)’)
Melhor dupla: Almir Sater e Renato Teixeira (‘AR’)
Melhor álbum: ‘Cordas, Gonzaga e Afins (Sagrama e Encore)’, de Elba Ramalho, Produtores: Sergio Campello e Tostão Queiroga
Melhor grupo: Ilê Aiyê (‘Bonito de se Ver’)

Especiais
Álbum em língua estrangeira: ‘Cauby Sings Nat King Cole’, de Cauby Peixoto, produtor Thiago Marques Luiz
Álbum infantil: ‘Para Ficar Com Você’, de Palavra Cantada, produtores Paulo Tatit e Sandra Peres
Álbum eletrônico: ‘Gaia Musica – vol. 1’, de Dj Tudo e Sua Gente de Todo Lugar, produtor DJ Tudo
Álbum projeto especial: ‘Café no Bule’, de Zeca Baleiro, Naná Vasconcelos e Paulo Lepetit, produtores Zeca Baleiro, Naná Vasconcelos e Paulo Lepetit
Melhor DVD: ‘Loucura – Adriana Calcanhotto canta Lupicínio Rodrigues’, de Adriana Calcanhotto, direção de Gabriela Gastal
Álbum erudito: ‘Sinfonia nº12, Uirapuru e Mandu-Çarará’, de Villa-Lobos, interpretado pela Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, produtor OSESP

Instrumental
Melhor álbum: ‘Tocata à Amizade’, de Tocata à Amizade, produtores Yamandu Costa e Rogério Caetano
Melhor solista: Hamilton de Holanda (‘Pelo Brasil’)
Melhor grupo: Tocata à Amizade (‘Tocata à Amizade’)

Categoria projeto visual
Tereza Bettinardi por ‘Dancê’, de Tulipa Ruiz

Categoria arranjador
Guinga por ‘Porto da Madama’, de Guinga

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s