Destaque Foto Música Resenhas Show

Show de afrontamento, Canções de Liberdade busca influência no passado pra discutir o presente

cancoes_de_liberdade-28
A estreia de Canções de Liberdade no palco do Sesc Pompeia (Foto Alexandre Eça)

Afrontar. Canções de Liberdade, show idealizado pela cantora Luciana Oliveira e apresentado em duas noites de ingressos esgotados no palco do Teatro Sesc Pompeia, em São Paulo, foi um espetáculo de afrontamento. Um show que atestou resistências, busca de visibilidade, não contentamento. E para tanto, usou fortes vozes femininas – da própria Luciana, de Jesuton, Maíra Freitas e Liniker. Ao lado de Eduardo Brechó, integrante da banda paulistana Aláfia, essas vozes entrosaram sentimentos, inconformismos, anseios e clamaram por justiça ao lembrar de casos como os do pedreiro Amarildo ou da recente condenação de Rafael Braga.

Questões raciais, de identidade e supressão de direitos vieram à tona através de inspirações de um passado não tão distante, elencando canções emblemáticas que já estiveram a serviço de gritos por justiça e clamores diversos. De Strange Fruit (1939), lamento que se tornou estampa máxima da luta contra o racismo nos Estados Unidos na voz de Billie Holiday, até Golpistas (Caio Prado, 2016), que encerrou o show em clima de protesto político, Canções de Liberdade alinhavou diferentes tempos em um amplo arco de influências.

Houve discurso e houve música – rock, pop, soul, rap, samba – na noite de estreia. Nina Simone, Donny Hathaway, Gonzaguinha, Leci Brandão, Billie Holiday, Jovelina Pérola Negra e Martinho da Vila. Todos contribuíram com narrativa de enfrentamento de Canções de Liberdade, show poderoso, que grita e faz-se ouvir mesmo depois da última canção.

cancoes_de_liberdade-1

 

Setlist

1. Caxangá (Milton Nascimento / Fernando Brant)
2. The revolution will not be televised (Gill Scott Haron)
3. Ilê de Luz (Carlos Lima Suka)
4. Comportamento geral (Gonzaguinha)
5. What´s going on (Marvin Gaye)
6. Voz Ativa (Edy Rock / Mano Brown)
7. Zé do caroço (Leci Brandão)
8. Semba dos ancestrais (Martinho da Vila)
9. Little ghetto boy (Donny Hathaway)
10. Strange fruit (Abel Meeropol)
11. Catatau (Jovelina Pérola Negra)
12. Ain´t got no – Mississippi Goddam (Nina Simone)
13. Pra matar preconceito (Raul DiCaprio / Manu da Cuíca)
14. Formation (Asheton Hogan / Beyoncé / Khalif Brown / Michael L. Williams II)
15. Texto – O cantor miserável da noite no cais
16. Zumbi (Jorge Ben Jor)
Bis
17. Golpistas (Caio Prado)

Fotos

Fotos de Alexandre Eça

0 comentário em “Show de afrontamento, Canções de Liberdade busca influência no passado pra discutir o presente

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s